Biblioteca de São Paulo – Por Jessica Mamede

A Biblioteca de São Paulo (BSP) está localizada no Parque da Juventude (zona norte da cidade de São Paulo), na região da antiga penitenciária do Carandiru. Foi inaugurada no dia 8 de fevereiro de 2010 e faz parte do conjunto de iniciativas da Secretaria de Estado da Cultura para incentivar e promover o gosto pela leitura.

Biblioteca de São Paulo

A tragédia deu lugar ao lazer e à cultura. O espaço do parque é enorme para famílias se reunirem e praticarem esportes. Além do parque, o Parque da Juventude oferece vários cursos profissionalizantes na ETEC.

Entretanto, o foco do blog não são os parques, muito menos falar sobre a carnificina ocorrida em 1992 no Carandiru. O blog está centrado nas bibliotecas do mundo, e eu resolvi falar sobre a minha biblioteca favorita na cidade de São Paulo.

Antes de me mudar de São Paulo e ir para Ribeirão Preto estudar, frequentava muito a Biblioteca de São Paulo. O local não é o retrato de uma biblioteca clássica e considerada “careta” por muitos, mas sim uma biblioteca descontraída, alegre e com uma estrutura arquitetônica contemporânea, atraindo a atenção do público.

Piso térreo

O espaço oferece diversas obras literárias, inúmeros livros infanto-juvenis, acervo com volumes em braile e filmes relacionados à obras literárias. Também há palestras oferecidas pela biblioteca em um auditório, além de peças de teatros, principalmente para o público infantil.

Tenda de eventos

A Biblioteca é a concretização do mundo imaginado pelos livros; ao entrarmos nela, sentimos que fazemos parte de uma história, como se entrássemos em um livro e fossemos os protagonistas. A Biblioteca de São Paulo leva-nos à melhor fase da vida: a infância.

BSP em números 

Mais informações sobre a Biblioteca de São Paulo (BSP), acesse

http://bibliotecadesaopaulo.org.br/a-bsp/

Anúncios

Biblioteca de Alexandria – Por Priscila Garcia

Antiga Biblioteca de Alexandria

Antiga Biblioteca de Alexandria

Antiga Biblioteca de Alexandria

Antiga Biblioteca de Alexandria

Antiga Biblioteca de Alexandria

Imagem da cena do filme “Ágora”

No filme “Ágora”, do cineasta espanhol Alejandro Amenábar, ele relata a vida da Hipátia, ela  ensinava filosofia, matemática e astronomia na Escola de Alexandria, junto à Biblioteca. Era uma grande amante e da Biblioteca de Alexandria.

A Biblioteca de Alexandria foi uma das maiores bibliotecas do mundo antigo. Alexandria era o centro da cultura mundial no período do século III a.c., o coração da humanidade (mundo do conhecimento), foi o primeiro instituto de pesquisa na história do mundo, na biblioteca continha praticamente todo o saber da antiguidade, nela existia cerca de 700 000 rolos de papiro e pergaminhos.

A biblioteca tinha o intuito de adquirir um exemplar de cada manuscrito existente na terra, ela reuniu o maior acervo de cultura e ciência que existiu na antiguidade, e tinha como principal objetivo disseminar a cultura nacional.

Existiam duas grandes Bibliotecas de Alexandria, a Mãe e a Filha, a segunda era usada como complemento da primeira, mas com o incêndio acidental, da Biblioteca Mãe, a Filha ganhou uma grande importância.

Os grandes sábios vinham até Alexandria para se reunir na Biblioteca e debater variados temas, esses sábios eram gênios do passado, eles criaram grandes obras da geometria, trigonometria, astronomia, literatura e medicina.

Os grandes pensadores entre eles eram, Euclides, Aristarco, Arquimedes, Eratóstenes, Calímaco, Galeno, Ptolomeu e Hipátia.

NOVA BIBLIOTECA DE ALEXANDRIA

Nova Biblioteca de Alexandria

Nova Biblioteca de Alexandria

Nova Biblioteca de Alexandria

Nova Biblioteca de Alexandria

Alexandria Interior Top 2 Level

Nova Biblioteca de Alexandria

Hoje, 1300 anos depois da sua destruição, a Biblioteca de Alexandria encontra-se em fase de renascimento. Em colaboração com a UNESCO, o governo Egípcio, decidiu construir uma nova biblioteca em Alexandria.
A nova biblioteca, assim como a que foi destruída, possui um importante foco de cultura, educação e ciência, ela é pública e universal, e patrocina estudos intensivos sobre herança histórica e cultural contemporânea da região

O complexo consiste num prédio principal de onze andares, quatro deles abaixo do nível do mar, erguido em forma de cilindro. Nele estão abrigados o acervo e o maior salão de leitura do mundo, inclui ainda planetário, museu da ciência, museu da caligrafia e um moderno laboratório de restauração.

Dica: Assistam o filme “Ágora”

Fonte:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Biblioteca_de_Alexandria

Biblioteca Joanina da Universidade de Coimbra em Portugal – Por Caroline Sabino

Em meados do século XV, essa Biblioteca que tinha sua sede em Lisboa, foi transferida para Coimbra, passou a ser conhecida como “Casa do Livro” e ter status de Biblioteca Pública.

Porém, com a Reforma Católica do Concílio de Trento, ela perdeu o status de pública (apesar de legalmente ser considerada assim). Somente no final do século XVII que a existência da Biblioteca de Coimbra seria formalizada, sua sede merecia uma reforma, já que se encontrava em um local com mais de 700 anos, e para isso seu acervo foi transferido para o segundo andar enquanto aguardava a finalização da obra, que só aconteceu muitos anos depois, quando o reitor procurou o Rei D. João V, e argumentou de forma veemente que os Estatutos da Universidade não estavam sendo respeitados, e que a Biblioteca não possuía um lugar condizente com seu rico acervo.

O Rei aceitou os argumentos, e nesse ano se iniciou a construção de uma das mais importantes Bibliotecas do Mundo, em Coimbra, Portugal.

A Biblioteca Joanina, recebeu os primeiros livros depois de 1750, sendo a construção do edifício datado entre os anos de 1717 e 1728.

O edifício tem três andares e agrega mais de 200.000 volumes.

Biblioteca Joanina da Universidade de Coimbra

Foto do exterior, no Largo da Ponte Férrea,Coimbra.

                                               Biblioteca Joanina da Universidade de Coimbra

Biblioteca Joanina da Universidade de Coimbra

As pinturas no teto dão uma sensação de profundidade que na realidade não existe.

Biblioteca Joanina da Universidade de Coimbra

Biblioteca Joanina da Universidade de Coimbra

Algumas das obras que se encontram em seu riquíssimo acervo:

         A Bíblia Latina de 48 linhas

 Editada em 1462, é assim chamada por ter exatamente 48 linhas por páginas.

A Bíblia Latina de 48 linhas

O livro Mensagem de Fernando Pessoa

Único livro a ser editado em quanto o poeta ainda era vivo, em 1934. O exemplar é conservado na brochura original e tem dedicatória manuscrita do autor.

O livro Mensagem de Fernando Pessoa

Curiosidade:

 A Biblioteca de Coimbra é habitada por uma pequena colônia de morcegos, os quais são úteis por se alimentarem de alguns insetos que poderiam vir a danificar algum conteúdo.

Dicas:

Para mais informações acessem o site oficial da biblioteca, lá você poderá fazer uma visita virtual em 3D dentro da biblioteca e, encontrar mais fotos e curiosidade de outros livros raros que estão no acervo.

Fontes:

http://www.uc.pt/

http://bibliotecajoanina.uc.pt/